ITAJUBÁ ESTÁ NA ONDA VERMELHA DO MINAS CONSCIENTE

Está valendo desde 1º de março em Itajubá o decreto municipal com medidas ainda mais restritivas para o município. As novas regras tornam-se necessárias devido ao aumento significativo de casos suspeitos e confirmados de Covid-19 na cidade e a crescente ocupação de leitos disponíveis na rede hospitalar.

O novo decreto nº 8333/2021 limita o horário para o atendimento no comércio até as 20h, podendo manter a continuidade do funcionamento após este horário na modalidade delivery. Ele proíbe também a permanência e o trânsito de pessoas nas ruas entre 20h e 5h; o uso de quadras esportivas e parques infantis; eventos com venda de ingressos, independentemente do número de pessoas; além de reforçar o controle do uso de máscaras e a distância entre os clientes no interior dos estabelecimentos comerciais da cidade.

O decreto ainda limitada a gratuidade das tarifas no transporte público coletivo ao usuário idoso das 10h às 15h. O estabelecimento que descumprir as normas do novo decreto, colocando em risco a saúde pública, estará sujeito às penalidades previstas no Código Sanitário do Município.

Sul de Minas

O Sul de Minas regrediu para a onda vermelha do Minas Consciente nesta quarta-feira, dia 3, quando o Governo Romeu Zema criou uma fase mais restritiva para o plano: a onda roxa. Nesta nova onda, as medidas passam a ser impositivas e não mais opcionais para as prefeituras. Elas valem, neste primeiro momento, para as regiões Noroeste e Triângulo Norte.

No caso do Sul de Minas, depois de duas semanas na onda amarela, a região voltou para a vermelha, a qual havia ficado por seis semanas consecutivas.Na onda vermelha, o comércio e os eventos, por exemplo, estão liberados. De acordo com o Governo de MG, em eventos, a limitação de pessoas será de 30 na onda vermelha, 100 na onda amarela e 250 na onda verde.

O protocolo é mais restritivo envolvendo o controle de fluxo na entrada dos estabelecimentos, o limite de uma pessoa por atendente no comércio não essencial, a proibição de autoatendimento para reduzir o contágio dentro dos estabelecimentos, a medição de temperatura na entrada e o estímulo aos agendamentos.

(Fonte: ASCOM PMI)