IMPACTO NA ECONOMIA ITAJUBENSE DAS RESTRIÇÕES DE FUNCIONAMENTO AO COMÉRCIO

“Ao dia em que este texto está sendo elaborado, a expansão da pandemia de Covid19 tem gerado um impacto enorme nas economias dos países atingidos. Foi assim inicialmente na China, de onde foi disseminado para outros países e, ao chegar na Europa, está produzindo consequências ainda mais graves.

Embora o problema causador de toda a desordem seja o mesmo, uma epidemia de um tipo particularmente perigoso de gripe, os efeitos sobre a saúde, a sociedade e a economia de cada um dos países afetados têm variado, em função não só da estrutura de cada um deles, mas também pelo tempo em que foram afetados.

Assim, quando na China a epidemia atingia proporções de catástrofe, na Europa ela apenas iniciava e não permitia à maioria dos seus líderes perceber a gravidade que o problema poderia esconder.

Para a maioria de nós, no Brasil e em nossa cidade, ainda neste momento, parece que se trata de uma questão distante. Estamos percebendo mais as suas consequências econômicas do que propriamente o problema de saúde em si.

E essas consequências têm se mostrado devastadoras para nossa economia. O comércio se ressente de uma situação sem precedentes e sem referência de memória para a maioria dos empresários e empreendedores. Durante a crise de 2014 -2016, foi a queda da demanda que levou o país, em última instância, a quedas históricas do Produto Interno Bruto PIB). Todos   sentimos.

Mas, essa queda nem se compara com a situação atual. Em alguns casos, a interrupção da atividade da empresa é total. Um dia sem demanda tem um peso importante para essas empresas. Uma semana é difícil de recuperar. Um mês pode quebrar. Dois meses seleciona um grupo restrito de empresas que conseguirão sobreviver. Mais do que isso representa a falência da totalidade, ou quase isso, dos pequenos empreendimentos. É absolutamente desesperador.

As empresas associadas à ACIEI têm começado a sentir esta situação. As quedas nas receitas são de uma ordem que impedem qualquer análise normal da economia das empresas. Muitos empresários têm procurado a ACIEI para compartilhar sua preocupação e ver o que poderiam fazer neste momento de dificuldade.

Neste sentido, a ACIEI tem atuado em várias frentes. Uma delas consiste em participar junto ao Poder Público, forças de segurança, associações de classe e representantes em geral da sociedade das decisões para mitigar os efeitos para a saúde e para as empresas da atual crise. Nessas reuniões, é possível obter informações confiáveis das autoridades de saúde e dos gestores públicos, para orientar a melhor estratégia para evitar os colapsos dos setores envolvidos na crise.

Por outro lado, a ACIEI colocou em funcionamento um programa de suporte ao empresário, criando um canal de comunicação direto e gratuito. Esse canal disponibiliza informações sobre as áreas tributária, fornecedores, trabalhista, aluguéis e outras questões fundamentais para os empresários neste momento crítico. Esse apoio já vem sendo oferecido com bastante sucesso. Entendemos que cabe a nós, da ACIEI, ajudar em tudo aquilo que for possível para salvar as empresas nesta difícil situação, auxiliando-as na tomada das melhores decisões possíveis.

Estamos também em contato permanente com a nossa representação estadual, FEDERAMINAS, da qual fazemos parte e participamos da sua diretoria, que mantém um canal aberto com o Governo do Estado e com todas as associações de Minas Gerais, para buscar estratégias de enfrentamento dos problemas decorrentes da Pandemia.

Enfim, a ACIEI não apenas está trabalhando em prol dos seus associados, mas de toda a classe empresarial de Itajubá e microrregião, sem medir esforços neste momento delicado que estamos atravessando.

Temos consciência da gravidade da situação. Mas, acreditamos que com muito trabalho, serenidade e inteligência e somos capazes de encontrar as respostas certas.  O trabalho e a serenidade dependem de nós. A inteligência nos foi dada por Deus. Estamos confiantes. Deus proteja e abençoe cada lar”.

 

Prof. Hector G. Arango

Presidente da ACIEI